HONG KONG: CONTINUAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES CONTRA A REPRESSÃO POLICIAL

Exigencias_Hong_Kong

A 20 de Dezembro, milhares de habitantes de Hong Kong concentraram-se para exigir a libertação dos 79 manifestantes pró-democracia presos no Centro de Detenção Lai Chi Kok.

Milhares de pessoas de Hong Kong concentraram-se na sexta-feira, 20 de Dezembro, ao apelo dos parlamentares e dos conselheiros distritais pró-democracia, nos passeios de Butterfly Valley Road, para apoiar os detidos no Centro de Detenção Lai Chi Kok. Esta manifestação, que não tinha levantado quaisquer objecções da Polícia, desenrolou-se pacificamente (segundo o South China Labour Bulletin, de 21 de Dezembro).

Na véspera, dia 19 de Dezembro, a Polícia de Hong Kong tinha prendido quatro pessoas da Associação sem fins lucrativos “Spark Alliance HK” – que é uma organização de recolha de fundos para apoiar iniciativas de manifestantes pró-democracia – por suspeita de “lavagem de dinheiro”. Continuar a ler

Hong Kong: campo pró-Pequim sofre derrota eleitoral esmagadora

Eleicoes_Hong_Kong2

O jornal The Standard (25 de Novembro) afirma: “A vaga democrática enterra o campo pró-Pequim”. E acrescenta: “Dezenas de conselheiros distritais, eleitos para a democracia, reuniram-se no Jardim Centenário durante a tarde, pedindo às autoridades que obrigassem a Polícia a pôr termo ao cerco da Universidade Politécnica, informa o RTHK (Serviço público de informação).

Nas eleições para os Conselhos de distrito de 24 de Novembro, derrota completa dos candidatos anti-Cinco Exigências (pró-Pequim) com uma perda de 240 mandatos. Os candidatos apoiantes das Cinco Exigências (pró-democracia) são maioritários em 17 dos 18 distritos, com 389 mandatos em 452. Continuar a ler

CHINA / HONG KONG: «Nenhum passo atrás!»

hong-kong-protestos-Edit

Divulgamos o Apelo (1) à greve e a manifestar-se na rentrée, lançado a 30 de Agosto pelas associações estudantis de Hong Kong. No seu seguimento – e tendo como causa as incessantes manifestações dos jovens e do povo dessa região da China – houve o recuo do Governo de Hong Kong em relação à Lei de extradição para a China.

«Nenhum passo atrás, nós somos agora donos do nosso destino» – Declaração comum das organizações de estudantes do Secundário e das associações de estudantes dos estabelecimentos do Ensino Superior, sobre o boicote às aulas, a iniciar em Setembro Continuar a ler

Hong-Kong, maior greve geral desde 1967

Hong_Kong

A paralisação de 5 de Agosto foi convocada pela confederação sindical HKCTU. Trata-se da primeira greve geral em Hong-Kong, desde que a Região foi de­volvida ao território chinês em 1997 (como Região administrativa espe­cial), mas também desde décadas antes, enquanto foi colónia britânica.

A greve resultou da recusa da chefe do Executivo, Carrie Lam, apoiada por Pequim, de retirar o projecto de Lei – apenas suspenso – que permite a extradição de refugiados para a China continental, bem como da recusa de ser constituída uma Comissão de inquérito independente sobre a violência policial nas manifestações que se sucedem há dois meses. Os grevistas exigiam ainda a libertação dos manifestantes detidos, que as acções dos protestos não sejam identificadas como motins, e o estabelecimento do sufrágio universal para o chefe do Executivo e para o Conselho Legislativo (o Parlamento de Hong-Kong). Continuar a ler