“O povo palestiniano tem direito a existir”

PalestLand

Divulgamos uma entrevista com Nedal Rafeh, militante da “Campanha por um só Estado democrático”, publicada no semanário Informations Ouvrières – Informações operárias – nº 568, de 28 de Agosto de 2019, do Partido Operário Independente, de França.

P – A situação na Palestina foi marcada, este Verão, por uma aceleração da demolição de casas palestinianas e de novas ameaças aos refugiados, particularmente no Líbano. Podes dar-nos a tua apreciação sobre estes desenvolvimentos?  

R – As demolições são porque Israel confisca cada vez mais terras. Elas agravam uma situação que é já de uma extrema gravidade. Eles queriam continuar com as expulsões, continuar com a Nakba, mas perante isso, os Palestinianos continuam a resistir e pedem, muito simplesmente, o direito a viver em sua casa, o direito a existir. As demolições têm lugar em Jerusalém, mas também nos territórios de 1948 (o Estado de Israel, NdT); o Governo israelita não faz qualquer distinção e, para nós, é essencial trabalhar para a unidade dos Palestinianos, porque fora de um agrupamento deste tipo não teremos jamais a relação de forças para fazer respeitar os nossos direitos. Continuar a ler