Sobre Partido Operário de Unidade Socialista

Membro da IV Internacional, o POUS apoia e desenvolve as iniciativas do Acordo Internacional dos Trabalhadores e dos Povos que, em todo o mundo, promove a defesa das Convenções da OIT, dos direitos laborais, da independência das organizações sindicais e da paz.

POUS toma posição contra o ataque à França Insubmissa e aos seus dirigentes

1164098-prodlibe-perquisition-siege-de-la-france-insoumise

No passado dia 16 de Outubro, a Polícia francesa entrou, às sete horas da manhã na sede do partido França Insubmissa e na habitação do seu coordenador – Jean Luc Mélenchon – e de outros dirigentes deste partido. O pretexto foi a necessidade de investigação das contas das campanhas eleitorais. Continuar a ler

Anúncios

No Brasil, voto 13: pelos direitos, pela democracia!

Lula_Haddad

Haddad e Lula.

Divulgamos o Editorial de “O Trabalho”, de 11 de Outubro, que é da responsabilidade da Secção brasileira da 4ª Internacional, uma das correntes do Partido dos Trabalhadores (PT). 13 é o número da lista do PT nos actos eleitorais.

No dia 28 de Outubro, em segunda volta, será eleito o Presidente do país. O que está em jogo é muito mais que um mandato para os próximos quatro anos.

Para a classe trabalhadora e todas as ca­madas oprimidas, é o seu direito a ter direitos; para a juventude, é o direito a um futuro; e para a nação, é o direito à soberania, ou abdicar dela, batendo continência à bandeira dos EUA, como faz Jair Bolsonaro (1). Continuar a ler

Roma desafia Bruxelas

salvinijuncker-1024x576

Transcrevemos a análise do POSI (Partido Operário Socialista Internacionalista, Secção espanhola da IVª Internacional) sobre o que se está a passar na União Europeia, publicada na sua Carta semanal nº 699, de 8 de Outubro de 2018.

Na semana passada, assistimos ao enfrentamento entre o Governo italiano e a Comissão Europeia. O governo de Roma decidiu elaborar um Orçamento do Estado baseado num incre­mento do défice para 2,4% do PIB. E, além disso, manter esse valor para os próximos dois anos (ainda que, de imediato, perante as pressões de Bruxelas, tenha falado em baixá-lo no 2º e 3º anos para 2,1% e 1,8%, respectivamente). Continuar a ler

Reino Unido: Eleições gerais imediatas para derrubar este Governo!

Jeremy Corbyn Launches Labour's Local Government Election Campaign

Jeremy Corbyn dirigindo-se aos delegados do Partido Trabalhista, a 26 de Setembro, em Liverpool.

Reproduzimos um artigo publicado no início de Outubro de 2018 no Labour News, que é um Boletim editado por militantes do Partido Trabalhista (Labour Party) que são simpatizantes da 4ª Internacional.

Uma semana após aquilo a que toda a imprensa nacional e internacional chamou “a humilhação de Salzburgo” (local onde foi realizada a última Cimeira da União Europeia), Theresa May tem de enfrentar o seu próprio Partido, aquando do Congresso anual que terá lugar em Birmingham. Continuar a ler

É tempo de satisfazer as reivindicações da população trabalhadora

Os sinais exigindo o fim do prazo para uma resposta positiva aos problemas dos trabalhadores e das populações são evidentes.

Eles existem em todos os sectores, sejam eles do público ou do privado.

Os médicos do Centro Hospitalar de Gaia deram um prazo ao Governo para resolver a grave situação em que trabalham, com enfermarias sobrelotadas, serviços sanitários indignos e equipas de saúde exaustas.

Continuar a ler

Sem trégua, chegou a hora de derrotar o golpe!

rs_lula_haddad_foto_ricardo_stuckert_15092016001-850x488

A duas semanas das eleições de 7 de Outubro, a candidatura de Fernando Haddad – do PT, como representante de Lula – emerge com força para passar à 2ª volta e impor a derrota aos golpistas.

A decisão de lançá-lo como candidato a Presidente, em prévio acordo com o PCdoB (1), com a deputada Manuela D’Ávila na Vice-Presidência, foi amadurecida na Direcção do PT, em discussão com Lula, para – por causa da perseguição judicial, e uma vez esgotados vários prazos de recurso – não ficar de fora destas eleições em que se pode derrotar o golpe.

Continuar a ler

EUA a dois meses das eleições de meio de mandato: Sob aparente normalidade, crise atinge Democratas e Republicanos

Ocasio_Cortez

A candidata latina Ocasio Cortez, do movimento de Sanders, em campanha eleitoral aquando das Primárias democratas de Nova Iorque.

Há quem alimente grandes expectativas de que estas eleições nos EUA, respeitantes a uma parte dos eleitos para o Senado e para a Câmara dos Deputados (ou Representantes), possam criar condições políticas que levem à destituição de Trump, pois o Congresso (1) pode mudar de composição. Afinal, qual é a situação real no principal país imperialista, quase dois anos após a eleição de Trump? Transcrevemos a análise de Devan Sohier, publicada num artigo de Informations ouvrières – Informações operárias, o semanário do Partido Operário Independente, de França – edição nº 520, de 13 de Setembro de 2018. Continuar a ler