“Decomposição” da União Europeia

EU-battle_SE-uniao-europeia-800x445

Transcrevemos de Informations ouvrières (Informações Operárias, semanário do Partido Operário Independente, de França) uma nota da autoria de Daniel Shapira, publicada no seu nº 509, de 27 de Junho de 2018, que mostra o evoluir da desagregação da União Europeia.

Cimeira franco-alemã a 19 de Junho, mini-Cimeira informal a 24 de Junho (em Bruxelas), as reuniões sucedem-se a um ritmo desenfreado em vésperas da Cimeira europeia de 28 e 29 de Junho.

O jornal francês Le Monde de 21 de Junho mostra-se desolado: “O debate migratório eclipsou um pouco o que deveria ter constituído o menu principal da Cimeira franco-alemã organizada no passado dia 19 de Junho (…): as propostas de reformas comuns para a Zona Euro.”

E a Agência France Press (AFP) resume assim o que foi afinal o alegado “sucesso” de Macron em relação a um Orçamento para a Zona Euro: “Berlim rejeitou a ideia francesa de haver um ministro das Finanças ou um Parlamento da Zona Euro. Angela Merkel acabou por aceitar, com pouca convicção, a ideia de Emmanuel Macron de um Orçamento para o investimento. Mas ela pretende limitá-lo a algumas dezenas de biliões de euros, quando o chefe do Estado francês apontava para várias centenas.”

De qualquer forma, o montante de um eventual Orçamento para a Zona Euro não foi definido, adiando-o de facto para as calendas gregas. Note-se que esta proposta reavivou a crise que desarticula a União Europeia. Já houve “oito Estados do norte da Europa – de que fazem parte a Holanda, a Irlanda, a Finlândia e os Países Bálticos – que se exprimiram contra esse projecto, num documento comum” (AFP).

E logo no dia a seguir à Cimeira franco-alemã, a 20 de Junho, este acordo sobre um Orçamento para a Zona Euro acentuou a crise no Governo de grande coligação alemã, provocando a oposição virulenta da CSU, o partido da Baviera aliado da CDU (União Democrata-Cristã, liderada por Merkel).

E também, a 21 de Junho, na abertura de uma reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro, o ministro holandês frisou: “No respeitante a uma capacidade fiscal ou a um Orçamento para a Zona Euro, coloca-se uma questão: que tipo de problemas é que isso pode resolver? Para nós, a situação não é nada clara e, portanto, não somos favoráveis a essas propostas.”

Mas há um facto evidente: é a incapacidade da UE e dos seus governos em conseguir estabelecer qualquer acordo sobre a questão dos refugiados e do direito de asilo que mergulha “a Europa num impasse” (jornal Le Figaro, de 25 de Junho), ou a coloca “à deriva” (jornal Libération).

Numa cacofonia total, os Estados-membros da UE exibem, às claras, os seus desacordos sobre um pano de fundo comum: a rejeição dos refugiados e dos requerentes de asilo. “Plataformas de desembarque regionais” fora da UE, “centros (de retenção) fechados” na Europa, todos estes termos são assim resumidos pelo Eliseu (residência oficial de Macron, em Paris): “Já não estamos na situação de 2015. Nessa época, a questão era saber como repartir pessoas que, na sua maior parte, eram refugiados. Agora, a questão é saber como se impedem de entrar pessoas que, numa proporção muito maior, são migrantes económicos.” (jornal Le Monde, de 21 de Junho)

Mas, sobre este pano de fundo comum, os Estados europeus digladiam-se. Quando Macron denunciou, a 22 de Junho, a “lepra populista”, ele recebeu de imediato uma réplica contundente do vice-presidente do governo da Itália, Salvini: “Talvez nós sejamos populistas leprosos, mas eu só aceito lições daqueles que abrem os seus portos. Acolhei os milhares de migrantes e, depois, voltaremos a falar sobre este assunto.”

O ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, resumiu assim o que toda a gente sente: “A Europa está num processo de decomposição.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s