Imperialistas atacam a Síria sob as ordens de Trump

2018-04-14t144407z-1404096363-rc14b7249810-rtrmadp-3-mideast-crisis-syria

Bombeiro sírio apaga chamas em centro de pesquisa científico destruído após ataque de EUA e aliados (Foto: Omar Sanadiki/Reuters)

Reunido a 14 de Abril de 2018, o Secretariado Nacional do POI (Partido Operário Independente) de França – que é uma das organizações responsáveis pela Coordenação do AIT – adoptou, por unanimidade, a seguinte Declaração sobre os bombardeamentos na Síria.


O Secretariado Nacional do POI condena os bombardeamentos na Síria

Na noite de 13 para 14 de Abril, um dilúvio de ferro e de fogo, de mais de cem mísseis, abateu-se sobre a Síria e o povo sírio.

Os EUA, a França e o Reino Unido, em nome de pretextos “humanitários”, bombardearam as populações da Síria.

São estas mesmas grandes potências que, em 2011 – a coberto da luta contra o regime de Bachar el-Assad – ajudaram à constituição de uma pretensa oposição democrática, que se revelou ser um foco de terrorismo, expandindo-se através do mundo em atentados que ensanguentam as grandes cidades da Europa e de outros países.

São estas grandes potências as responsáveis pela situação que existe no Médio-Oriente. A guerra? São estas grandes potências que a praticam, em todo o nosso planeta, e que ameaçam toda a humanidade, à conta dos interesses do capital financeiro e dos grandes monopólios, que visam deste modo pilhar as riquezas e os recursos dos países que atacam.

Estas grandes potências fizeram esse bombardeamento com o apoio da Arábia Saudita (cujo novo dirigente acabou de ser recebido, em Paris, por Macron) que está a desenvolver uma guerra feroz e bárbara no Iémen, coberta por um silêncio mundial ensurdecedor. É este mesmo regime saudita que financia os grupos terroristas na Síria.

As grandes potências bombardearam a Síria com o apoio do Estado de Israel, que prossegue o massacre dos Palestinianos que se manifestam pacificamente.

O governo de Macron inscreveu-se totalmente na estratégia política de Trump, tornando-se num acólito às ordens do imperialismo norte-americano.

É este mesmo governo de Macron que gasta milhares de milhões nas guerras em África e no Médio-Oriente, que decidiu aumentar o Orçamento militar em 35%, enquanto – em nome da redução do défice público – ataca a SNCF (Sociedade Nacional dos Caminhos-de-Ferro), os serviços públicos, os hospitais e as universidades, e entrega aos patrões muitos milhares de milhões de euros.

O Secretariado Nacional do POI condena estes bombardeamentos e a barbárie provocada pela intervenção imperialista. Ele denuncia a política belicista e imperialista do governo de Macron.

Ele reafirma o seu empenho na luta contra a guerra e exploração, e estará presente, nos próximos dias 8 e 9 de Junho, no Comité Internacional de Ligação e de Intercâmbio, constituído na Conferência mundial contra a guerra e a exploração, realizada em Argel em Dezembro de 2017.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s